Cancro no estômago é uma doença que se desenvolve lentamente. Por isso, saber reconhecer os sintomas com antecedência é muito importante para garantir a cura.


Muita gente, ainda hoje, evita mencionar o nome da doença, pois se trata de uma das mais perigosas e mortais.


Apesar dos avanços que houve no mundo em muitas áreas, em relação ao tratamento do cancro, tudo ainda é muito incerto.


O que realmente aumenta as hipóteses de cura é o diagnóstico feito antes do desenvolvimento do tumor.


Para ajudar a diagnosticar o mal, trouxemos os principais sintomas do cancro no estômago.


Mas, antes, é importante saber que o cancro no estômago também é conhecido como cancro gástrico , e se trata do crescimento descontrolado das células no estômago.


O resultado disso são tumores malignos na área mucosa, muscular ou serosa.


Um dos tumores mais comuns é o adenocarcinoma, que é responsável por cerca de 90% dos casos de cancro no estômago em todo o mundo.



Conheça agora os sintomas mais comuns do cancro do estômago:



  • Hemorragias

  • Vómitos e náuseas

  • Dores incomuns no abdómen

  • Atividade intestinal irregular

  • Fadiga

  • Anemia

  • Falta de apetite

  • Sensação de dor ou peso no abdómen mesmo depois de consumir pequenas quantidades de comida


Perceba que são sinais bem comuns e até podem ser confundidos com alguma virose.


Então é muito importante fazer exames para se certificar.


Na verdade, se o problema realmente for consequência de tumores, os sintomas tendem a piorar com o passar do tempo.


A prevenção natural



  • A alimentação deve ser o mais natural possível.

  • Fique longe de açúcar, carnes embutidas, carnes processadas, bebidas alcoólicas e tabaco.

  • Invista no consumo da cúrcuma (açafrão-da-terra).


Estudos revelam que a curcumina, principal antioxidante da corcuma, inibe o crescimento de muitos tipos de cancro, tais como cólon, próstata, ovário, mama e cérebro.
Também inibe a angiognese (a formação de novos vasos sanguíneos para alimentar o tumor).


Mas como e com que frequência usá-la?


A cúrcuma consumida sozinha ou na forma de cápsulas é muito pouco efetiva porque quase nada dela é absorvido no intestino.


O segredo, para que a cúrcuma passe pela barreira intestinal, é consumi-la com gengibre ou pimenta-do-reino, revela a dra. Carolyn Anderson.


Especialmente a pimenta, que aumenta a absorção de cúrcuma no corpo em até 2.000 por cento.


E também deve ser dissolvida em azeite.


Veja uma ótima sugestão:


Ingredientes



  • 1/4 colher (chá) de açafrão/cúrcuma

  • 1/2 colher (chá) de azeite extra-virgem

  • Uma pitada generosa de pimenta-do-reino


Modo de preparação



  • Misture os três ingredientes num copo.

  • A mistura pode ser consumida pura ou pode ser adicionada a saladas, sopas ou como quiser.

  • Só não pode aquecê-la.

  • E também não deve demorar a consumi-la.

  • No caso de adicioná-la a um prato cozido, coloque depois do cozimento ou não aqueça muito.


A mistura deve ser consumida todos os dias e várias vezes.